terça-feira, outubro 16, 2018
  1. Primeiro Seminário de Saúde Mental UFAL – Campus Arapiraca
  2. Primavera Livre
  3. O que são Centros Acadêmicos?
  4. Alunos do curso de Administração da UFAL campus Arapiraca organizam o V Encontro de Gestão para o Desenvolvimento.
  5. DISCENTES DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA SE MANIFESTAM QUANTO O DESCASO COM O GINÁSIO E PISCINA DA UFAL CAMPUS ARAPIRACA
  6. HORAS COMPLEMENTARES: EXIGÊNCIA ACADÊMICA, OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E AMPLITUDE DO CONHECIMENTO.
  7. Musicar tem resultado final dos artistas classificados para a última fase do concurso
  8. Curta Metragem de Arapiraca é selecionada para Festival Internacional em São Paulo
  9. CONFIRA QUEM SÃO OS PRIMEIROS CLASSIFICADOS PARA A FINAL DO MUSICAR
  10. Projeto Som do Campus abre inscrições
  11. Senac oferta cursos que contam como horas complementares
  12. Começa votação para o I Festival de Música na UFAL Campus Arapiraca.
  13. Assistência Estudantil: Bolsa Pró-Graduando – BPG.
  14. Vamos falar sobre Monitoria e Tutoria Acadêmica?
  15. Eliane Oliveira: a Leitora do Brasil em terras africanas
  16. Curso de Letras se debruça no universo infantil de Cecília Meireles
  17. SBPC abre seleção para monitores voluntários
  18. I Festival de Música da UFAL – Arapiraca
  19. I Encontro Consultivo de Psicologia em Unidade de Palmeira dos Índios
  20. LIFE – Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores.
  21. AGRICULTURA FAMILIAR UFAL ARAPIRACA
  22. Deficiência nos setores noturnos da UFAL – Campus Arapiraca
  23. Transferência Externa – Ufal
  24. FÍSICA ALÉM DA SALA DE AULA
  25. Intervalo de Terça
  26. Herbário Arapiraca (HARA) – Trilhando conhecimento
  27. Entrevista com o bibliotecário Márcio Albuquerque
  28. TRONCO INICIAL: “Eis a questão.”
  29. CLAUDEMIR CALIXTO – UM POETA ATEMPORAL E EXISTENTE
  30. Acessibilidade na Universidade
  31. O olhar investigativo da Arquitetura
  32. Educação Física
  33. Experimentos da agronomia – destaque do mestrando Junior Alcântara
  34. Medicina: a arte da cura
  35. Laboratório de informática: Quem pode?
  36. Navegando no mundo da Administração
  37. Ciências Biológicas: Construindo um meio ambiente mais saudável
  38. O Universo da zootecnia: Ufal Arapiraca
  39. Física e seus fenômenos: conheça um pouco mais!
  40. A importância dos laboratórios da UFAL campus Arapiraca no curso de Química
  41. Ciência da Computação. Fique por Dentro.
  42. Enfermagem de perto UFAL Campus Arapiraca
  43. Agronomia – O dom do campo.
  44. Pedagogia a arte da aprendizagem
  45. Administração Pública: Formação de Gestores e a Arte de Gerir
  46. A matemática está em tudo
  47. Letras – Conhecendo e aprendendo sobre esse universo

Durante e após sua vida, Cecília Meireles consagrou-se como uma das poetas mais proeminentes de sua geração. O que muitas pessoas não sabem é que, além de ter uma fascinante produção lírica, Meireles também teve uma carreira como docente. Sempre preocupada com a qualidade do ensino bem como a quantidade de livros didáticos, Cecília escreveu livros para as escolas primárias, sendo o primeiro deles intitulado Criança, Meu Amor, publicado em 1924. Em 1934, fundou a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro e do Brasil, ficava localizada no Pavilhão Mourisco e se manteve em funcionamento durante quatro anos.

Perante um universo tão pouco conhecido da autora, a professora do curso de letras — e pesquisadora fiel de Cecília Meireles — Karla Renata Mendes coordena um projeto de pesquisa voltado para os livros da autora destinados ao público infantil. Intitulado “Universo literário da criança: Cecília Meireles e sua obra infanto-juvenil em prosa”, Mendes e uma equipe de três alunas do curso de letras esperam avaliar as contribuições da escritora para a formação de jovens leitores, um público que sempre esteve visado pela poetisa.

Acreditando que os textos merecem ser mais divulgados em um ambiente escolar, o projeto, além de análises, propõe também atividades que podem ser utilizadas em sala de aula para os profissionais da área docente que queiram trabalhar literatura em suas aulas.

Quando questionada sobre como vem o interesse em produzir determinada pesquisa voltada para a temática, a professora Karla Mendes comenta: “O interesse surgiu pela constatação de que a obra infantil de Cecília é muito mais conhecida pela poesia do que pela prosa e que havia um campo de estudos interessante e possibilidades de se ler e divulgar textos ainda pouco conhecidos da autora. Há obras infantis em prosa que são praticamente desconhecidas e pouco acessíveis. A ideia era torná-las mais conhecidas, principalmente em âmbito escolar” e sobre as características da autora e se elas podem estabelecer um contato com as crianças da contemporaneidade, que vivem numa influência tecnológica muito distante do contexto das obras escritas, a professora continua comentando: “O tema das obras de Cecília é universal. Dialogam com qualquer criança de qualquer época. Falar sobre assuntos como a morte, a amizade, a família e a convivência em sociedade torna tais livros atemporais. Assim, acredito que mesmo num contexto contemporâneo, elas poderiam atrair a atenção de crianças e jovens”.

O poder que as obras cecilianas desempenham na literatura é imensurável. Abrir um olhar mais receptivo para as obras infanto-juvenis da autora é entender sua preocupação com a formação educacional. As análises e propostas de atividade podem ser encontradas no blog do projeto neste link

VICTOR H. FARIAS

Tags: , , , ,

0 Comentários

Deixe um Comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com